Quem me rouba a inspiração rouba-me tudo.

d

Quem me rouba a inspiração rouba-me tudo.

O criativo nunca está só.  Criar é ter a companhia do outro de nós, que cria.  Pensa, desenha, transforma.  Imagina, traduz, expressa.  Traz ao mundo o que antes não existia.  Num gesto criam-se imagens à medida do que os nossos olhos veem, do que o traço da nossa mão sente.  Do que idealizamos, uma visão que é só nossa, de sonho e de beleza.  É puro e único.  É o que acreditamos que o mundo precisa, e nós, criamos.  Ou pelo menos assim devia ser.  Mas quando nos roubam a inspiração roubam-nos tudo.  Roubam-nos o acreditar.  Porque deixamos de sentir que o mundo precisa de nós, e passamos a sentir que, nós precisamos do mundo.  Vá! inspira-me lá.  Então ficamos assim, à espera.  À espera que alguém se inspire por nós.  Que resolva.  Que por um gesto milagroso, apareça feito.  Mas tu que és criativo, põe-te a criar coisas que a inspiração logo aparece.  Não, não é bem o mesmo que perder as chaves de casa.  É mais como, roubarem-nos a casa.  E os ladrões da inspiração... esses têm olho.   Têm olho para aquilo que é uma raridade, e sabem que vale mais que tudo.

joanacasacalemos.com *Guincho, Portugal.